A Importância De Saber Ser Pai

6
1149
Ser Pai

Hoje é dia 19 de Março, dia do pai, mas saberão todos aqueles que têm filhos qual é, de facto, o tamanho da responsabilidade de ser pai?

Infelizmente, pela experiência que tenho, posso afirmar com toda a certeza que não.

Atenção, que sou da opinião que a responsabilidade de ser pai é idêntica à de ser mãe, apenas me refiro ao pai, em particular, pela data que é.

E porque acho que existem verdades que devem ser lidas ou ouvidas, como queiram.

Ponto número um: o papel de um progenitor é estar presente. Não digo sempre, mas pelo menos muitas vezes.

Sejam pais separados ou juntos, com vidas muito ocupadas ou com todo o tempo do mundo.

As crianças merecem sempre a sua atenção.

Ser Pai

Elas não escolheram vir ao mundo, por isso, é bom que, enquanto pai, em que na verdade tens responsabilidades diminuídas (porque neste país as mães, independentemente de serem boas ou más) ficam quase sempre com a responsabilidade legal sobre elas, não te esqueças que tens filhos.

É duro ver e sentir que uma criança não tem ligações com o seu progenitor, porque é impossível manter uma boa relação quando se vêem apenas de vez em quando.

Muitos deixam até de querer saber.

Por outro lado, tens os pais que têm maior responsabilidade e afinidade para ficar com as crianças, mas a lei não o permite.

Mas, com tudo isto, também pode surgir a questão: o que é estar presente?

Pelo menos para mim, estar presente não é apenas ir aos eventos, às compras ou passear com a criança.

Estar presente é ouvir, discutir, ensinar, ler algo para ela, cantar-lhe uma música de embalar ou simplesmente dedicar-lhe nem que seja cinco minutos da sua vida a vê-la dormir.

Estar presente é amar e transmitir esse amor.

É preocupares-te com ela e não é só com as coisas más que lhe possam acontecer. Também as boas.

É torcer pelos seus jogos de futebol, é seres o primeiro a levantares-te para bater palmas nas suas peças de teatro, é guardares na tua carteira as lembranças que a própria escola promove no dia do pai.

Ser pai é veres os teus filhos, pelo menos, uma vez por mês.

Ser pai é eles poderem contar contigo, mas tu também saberes que podes contar com eles.

E só vais saber e ter a certeza que podes contar com eles no dia em que estiveres mais vulnerável e eles estiverem lá.

Mesmo depois de toda e qualquer ausência que lhes tenhas dado.

Porque da mesma maneira que serão sempre teus filhos, tu serás sempre pai deles.

Não existe maior laço ou ligação do que essa.

Se ainda não tens filhos, até por algum receio, mas pensas um dia ter e estás a ler este texto, lembra-te destas minhas palavras: os filhos são o teu prolongamento.

Dia do Pai

Claro que existem filhos que “vão a penaltis” e por mais que faças não se parecem em nada contigo.

Acho que isso se deve sobretudo a tudo o que escrevi para trás.

Se pensas que o teu filho, que se calhar até já não é nenhuma criança, nada se parece contigo e com a tua maneira de ser, é porque em alguma coisa falhaste.

Mas ser pai também é falhar. Faz parte.

Neste dia, não podemos dizer apenas “és o melhor pai do mundo”, temos de sentir.

Neste dia, todos pais deveriam querer ouvir “és o melhor pai do mundo”, mas talvez alguns não estejam minimamente ralados com isso.

Ser pai é ser amigo, confidente, dedicado, companheiro, divertido e é ter tempo para estar com os filhos.

É não sentires, enquanto filho, que até podes ser um fardo na sua vida.

Era só isto que eu queria dizer.

Acompanhem-me no Facebook e no Instagram.

COMPARTILHAR
Eu sou a Elsa e tenho 30 anos. Sou uma mulher feliz e cheia de teorias. Adoro viajar, estar por dentro das novidades de lifestyle e casei-me em 2017, por isso, também tenho muitas dicas para vos dar. Espero que gostem do meu cantinho!

6 COMENTÁRIOS

  1. Ser pai, resume-se a ser, estar, educar, amar, partilhar… cada vez mais se assiste à destruturação completa da forma de educar mas novas relações que se formam, ser pai é um assumir de responsabilidades para além da sua vida terrena…

    • Exatamente Alberto. Era tão bom que todos os pais tivessem noção do que é realmente sê-lo. Não é fácil e é cada vez mais difícil, mas pelo menos agora parece que existe mais preocupação e ligação com os filhos, o que é ótimo. Um beijinho

  2. Deixei a Vida Religiosa porque queria ser pai…hoje, com uma filha prestes a completar 6 anos e um a caminho, vivo esta experiência como aprendizado constante…excelente publicação…parabéns!

    • Muito obrigada meu querido. É sempre bom quando abdicamos de algo em prol de outra coisa que nos faça ainda mais felizes. Desejo que continue a ser uma excelente aprendizagem. Um beijinho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here