Regras De Casamento | Como Assim?!

5
1489
Regras de Casamento
Foi assim que eu entrei na cerimónia do meu casamento: a puxar o meu noivo para mim! Quebrámos alguma regra de etiqueta? Várias!

Hoje gostava de vos falar de um tema que me faz especial confusão, sobretudo quando demasiado levado à risca: As regras de Casamento.

Desde que me casei que me mantenho fiel a alguns grupos de Facebook, até porque considero que já tenho alguma experiência para poder ajudar outras noivas.

Mas aquilo que vejo em algumas publicações são perguntas que considero complemente descabidas.

Por exemplo:

  • “Queria que o meu sobrinho fosse o menino das alianças, mas ele já tem 14 anos, acham que já não tem idade para isso?”
  • “No convite de casamento colocamos primeiro o nome do noivo ou da noiva?”
  • “Quantas damas de honor podemos ter?”

Eu não quero ser mazinha, mas na minha opinião NÃO DEVEM EXISTIR REGRAS DE CASAMENTO!

O meu casamento foi totalmente planeado por mim e pelo meu noivo e acho que assim é que deve ser sempre!

O sucesso de uma cerimónia está na nossa essência.

Claro que podem existir sempre algumas coisas que podemos esclarecer ou que nos podem ajudar a encontrar soluções, mas daí até basear a nossa organização nesse tipo de coisas: NÃO!

Eu aconselho e recomendo que esqueçam as regras de casamento!


TAMBÉM PODES GOSTAR DE LER:


Regras de casamento: Para quê?

  • No meu casamento, a menina das alianças foi a irmã do meu marido com 24 anos. Era suposto ser a sobrinha, que na altura ficou envergonhada e não quis. Eu adorei que tivesse sido a minha cunhada e fez tanto sentido!
  • O nosso convite foi super criativo e essa foi a base da sua criação: brincarmos com as palavras, rimarmos e sermos autênticos.
  • Não tive damas de honor, mas tive quatro madrinhas e dois padrinhos. Para que servem as damas de honor? Para irem todas vestidas da mesma maneira?
Casamento Luís e Elsa
Eu não tive uma, mas duas alianças de casamento. Uma para o dia-a-dia e a outra para ocasiões especiais

Podem até achar que eu não tenho razão e não concordar comigo, mas para mim, foi o meu casamento de sonho com todas estas e outras regras magnificamente quebradas.

Também ia detestar ter um casamento igual a todos os outros, por isso, foi um casamento à nossa medida.

Se querem apostar no tradicional façam-no, se assim o vosso instinto vos guiar, se não, sejam originais.

Uma forma de encontrar uma boa dose de originalidade é pensar mesmo: “Como vou quebrar as regras de casamento?”.

Eu fiz isso e resultou.

As regras que quebramos no nosso casamento:

  • O nosso convite era totalmente informal. As pessoas tinham que rebentar um balão para ter acesso a mais informação sobre o casamento;
  • Fizemos a cerimónia numa barragem ao ar livre. O noivo entrou a dançar com os padrinhos. Eu cheguei de barco e também dei uns rodopios. A primeira coisa que fiz quando cheguei ao pé dele foi beijá-lo. E acho que, segundo, as regras só se faz isso no final;
  • Entrei sozinha na cerimónia. Os meus padrinhos e os meus pais seguiram à minha frente;
  • Eu não tenho uma aliança, mas duas. Uma para ocasiões especiais, outra para o dia-a-dia;
  • Estava tanto calor que a maioria dos convidados quando chegou ao copo-de-água mergulhou na piscina do hotel;
  • Tivemos porco no espeto, mas eu pedi para o esconderem (não gosto nada de ver o bicho a girar [esta conta?];
  • Forrei as casas-de-banho com posters da minha adolescência e do meu marido, como por exemplo, da Britney Spears, da Shakira, da Pamela Anderson, dos Excesso ou dos Milénio;
  • A nossa abertura do baile não foi ensaiada. Foi sentida!
  • Eu mandei o bouquet ao ar três vezes. Não foi programado, mas na altura pensei assim: “Nunca mais vou fazer isto na vida, por isso, porque é que só vou fazer uma vez?”. Pronto!
  • Fizemos a distribuição das mesas com pessoas que, na maioria, não se conheciam;
  • O meu saiote de noiva tinha um apontamento roxo, propositadamente para se ver;
  • A palavra-chave do nosso casamento foi: diversão!
Ramo de noiva
Quando mandei o bouquet ao ar pela primeira vez, percebi que não tinha ficado satisfeita e mandei três vezes no total. Está errado?

Acreditem que fazer algo simples, bonito e diferente compensa muito, porque será sempre lembrado como algo único e inesquecível.

NÃO TEMOS DE SER IGUAIS AOS OUTROS, nem tão pouco fazer aquilo que toda a gente acha que é assim que se faz.

Se eu casasse de novo, não mudaria nada e é esse pensamento que me faz ter a certeza que fiz as opções certas.

Apenas existem, na minha opinião, três regras fundamentais e, essas sim, devem ser seguidas à risca:

  • Casar com alguém que se ama;
  • Convidar pessoas que fazem sentido na tua vida;
  • Viver intensamente o teu dia de casamento.

NÃO É PRECISO MAIS NADA!

Espero ter ajudado quer concordem ou não com a minha opinião, mas também podem partilhar a vossa aqui em baixo nos comentários.

Um beijinho enorme para todas as noivas e os noivos deste mundo, acompanhem também o meu Instagram, o Facebook e o Youtube.

COMPARTILHAR
Eu sou a Elsa e tenho 30 anos. Sou uma mulher feliz e cheia de teorias. Adoro viajar, estar por dentro das novidades de lifestyle e casei-me em 2017, por isso, também tenho muitas dicas para vos dar. Espero que gostem do meu cantinho!

5 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here