Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Teorias da Elsa

Um blog que pretende motivar, inspirar, informar e dar a conhecer sítios e lugares surpreendentes.

As Teorias da Elsa

Um blog que pretende motivar, inspirar, informar e dar a conhecer sítios e lugares surpreendentes.

Lua-de-Mel | A Aventura No Hospital De Macau

IMG_9084.JPG

 

Continuando a contar-vos a nossa aventura por terras chinesas... 


Recordem os últimos capítulos desta bela história, primeiro de Pequim a Xi'an (aqui) e depois de Xi'an a Macau (aqui) e foi precisamente em terras macaenses o mais inesperado aconteceu...

 

O meu marido foi operado de urgência, em Macau, na nossa lua-de-mel.


O Luís começou a ter dores terríveis na zona abdominal e o pior cenário confirmou-se: teve de ser operado de urgência!

A razão foi uma apendicite que apenas foi descoberta 12 horas depois de termos entrado nas urgências.

Como já tinha contado aquiem Macau todas as indicações e até o nome das ruas estão em português. Aliás, a herança portuguesa está presente por toda a parte.

Na China andámos por sítios completamente isolados do mundo e onde certamente teríamos grandes dificuldades em até mesmo encontrar um hospital. Apesar de ter sido um incidente completamente desnecessário fosse na lua-de-mel ou numa simples viagem... Aconteceu no sítio certo!

Posso dizer que fiquei bastante surpreendida com a qualidade do serviço nacional de saúde macaense, sobretudo pelos excelentes profissionais com quem tivemos a sorte de nos cruzarmos.

Foram horas difíceis... Principalmente quando via a dor estampada no rosto do meu recém-marido sem conseguir fazer grande coisa para o ajudar. 

Comunicar com os familiares e amigos em Portugal foi fácil... O hospital tinha uma rede free wi-fi disponível e, sem dúvida que essa foi uma ajuda gigante. Estávamos sempre em contacto e garantidamente que dar notícias à família dele foi o meu principal objetivo e pilar.

Além de toda a sorte que tivemos por estarmos em Macau e nos fazerem sentir como se estivéssemos no nosso país, ainda fomos prendados com o facto do cirurgião que o operou ser português e uma simpatia.

 

Ter um Seguro de Proteção em Viagem pode ser muito vantajoso. Só posso recomendar!


Assim que percebi que ele tinha mesmo de ser operado liguei imediatamente para a nossa seguradora de viagem. E posso dizer-vos que essa sim, foi talvez uma das melhores coisas que fizemos na vida. 

Achamos sempre que apenas acontece aos outros, mas também nos pode calhar a nós... Não sendo macaenses, nem tão pouco residentes em Macau, todas as despesas hospitalares ficariam a 200% o valor de tabela. 

Os gastos poderiam ficar quase ao preço da viagem, mas felizmente o nosso seguro foi incansável, prestável e muito em conta.

Reforço: se saírem do país por um período mais alargado de tempo ou até para umas curtas férias, não o façam sem seguro de proteção em viagem. Pode poupar-vos muitos problemas e, sobretudo, dinheiro.

 

Mais de 12 horas depois de dar entrada no hospital, foi finalmente operado.

 

O meu marido entrou na sala de operações já passava da meia-noite. Foram mais de duas horas de angustia. O ar condicionado tanto em Macau, como também já tinha verificado em Hong Kong, é terrivelmente frio. Depois de um dia inteiro literalmente a congelar... Durante aquelas mais de duas horas da operação já não sabia como aguentar, com os nervos, o frio... Enfim. Cada vez que ia à rua "morria de calor"... Mas dentro do hospital o frio era insuportável. Valeram-me duas pequenas toalhas que as enfermeiras me disponibilizaram para me agasalhar.

 

Até que a boa nova surgiu finalmente... Num português delicado e ao mesmo tempo com notável falta de prática, uma enfermeira disse-me: "Correu tudo lindamente e tem um marido muito engraçado!" Pois é, ele é mesmo assim... Onde quer que vá espalha o seu charme, mesmo no bloco operatório. E eu tinha tantas saudades dele e da sua boa disposição...

 

Pouco tempo depois, o cirurgião (português) também veio falar comigo... Garantiu que tudo tinha corrido na perfeição e que em breve teria o meu marido nos braços... Inevitavelmente as lágrimas começaram a cair-me pelo rosto e dei um enorme suspiro de alívio.

 

Quando o vi foi uma sensação inesquecível... Claro que ele mandou umas quantas piadas, sobretudo sobre as enfermeiras chinesas e lá me sossegou a aflição.

 

Infelizmente não pude estar com ele de noite e de dia no hospital, mas mesmo assim conseguia passar umas 14 horas ao seu lado.

19933016_145457139364493_325431003457781760_n.jpg

Comprei um cartão para termos acesso à Internet durante 30 dias de forma ilimitada (foi um achado que custou apenas 10€) e que o ajudava a comunicar com a família e os amigos e, sobretudo, a entreter-se na minha ausência. O telemóvel dele passou a ser o nosso hotspot e tínhamos Internet nos telemóveis e no portátil. Conseguíamos manter-nos ativamente online e ainda ver filmes e séries.

 

Todos os dias fazia o percurso até ao hospital o mais rápido que podia e já nos últimos, quando lá chegava, já nem o encontrava deitadinho... Foi um pós-operatório pouco doloroso tirando o primeiro e o segundo dia. A forma como a operação foi realizada também ajudou bastante (na gíria diz-se que foi operado por furinhos). Ficou sem a habitual marca transversal e não está sequer visível.

IMG_9774.JPG

Todos os dias passava pelo Casino Lisboa para ir para casa e todos os dias suspirava pelo dia em que entrássemos ali juntos...

 

Conselho número dois: Com Skype é mesmo possível poupar muito dinheiro em chamadas!

 

Tendo um cartão com Internet ilimitada comunicar para Portugal era facílimo, mas falar com a nossa seguradora não era assim tão simples. Gastámos bastante dinheiro em roaming, até que resolvi explorar o Skype além das videochamadas. Carreguei-o com 10€ e estive horas ao telefone. Posso dizer-vos que não gastei mais de 6€. Faz muita diferença e este é o meu segundo maior conselho. É mesmo verdade... É uma excelente forma de poupar IMENSO dinheiro em chamadas.

 

Assim que saiu do hospital fomos finalmente conhecer a ex-colónia portuguesa... Confesso que antes disso não tinha vontade de ver nada e nem sequer de estar sozinha. Gostámos muito do que vimos e, sobretudo, das pessoas maravilhosas que tivemos oportunidade de conhecer melhor (amigos de amigos que nos receberam de braços abertos, o que tornou a estada bem mais fácil).

 

Só me resta concluir, mais uma vez, que apesar de não ter sido a experiência que desejámos ter na nossa lua-de-mel... foi uma aprendizagem e aconteceu no sítio certo (tivemos muita sorte por estarmos onde estávamos e não nas Aldeias Miao - por exemplo). Obrigada, muito obrigada vida por teres sido tão simpática connosco!

 

No final disto tudo, como não rir e agradecer pelo "mal" que nos aconteceu?! Seja qual for a estrelinha que nós temos... só pedimos que nos guie e acompanhe sempre! 

 

E sabem o que é o melhor no meio disto tudo? Pelo menos o apêndice nunca mais o vai chatear... Nem aqui, nem na China!

19954962_236267723548942_5353960863730499584_n.jpg

Depois dele sair do hospital, esta foi a nossa primeira paragem: As Ruínas de São Paulo!

 

Mas a nossa lua-de-mel ainda não acabou em Macau... Depois de estar recuperadinho lá fomos nós para a Malásia...

 

Não percam as próximas histórias reais e inéditas desta lua-de-mel tão louca quanto nós!

 

Acompanhem-me também no Instagram aqui e no Facebook aqui. 

2 comentários

Comentar post