Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Teorias da Elsa

Um blog que pretende motivar, inspirar, informar e dar a conhecer sítios e lugares surpreendentes.

As Teorias da Elsa

Um blog que pretende motivar, inspirar, informar e dar a conhecer sítios e lugares surpreendentes.

Basta de violência doméstica!

hand-1832921_1920.jpg

 

E não é apenas a violência física. E não são apenas as mulheres que são afetadas. Existem cada vez mais homens a sofrer pela calada. Não se permitam a viver no limite. Não se permitam a deixar que alguém vos levante uma mão ou vos ofenda. A violência física vê-se, deixa marcas visíveis, mas a pior é a que não se vê e deixa marcas profundas. E não venham com a história do "foi só uma vez". Nunca é só uma vez! Ao permitir uma vez estamos a compactuar com uma vida infeliz, uma vida onde a inferioridade se torna um hábito e a manipulação vence todas as batalhas. Essa... já ouviram falar dela? A manipulação é a nossa pior inimiga na hora de tentar abandonar o barco. O arrastar contínuo é a única alternativa numa manipulação bem feita. O pior nestas batalhas é que vamos ficando tão inferiores ao outro que quase não temos o tamanho de uma ervilha. Assim é que o outro gosta. Não se permitam a que alguém tome as rédeas da vossa vida. Não deixem, em momento algum, que ele ou ela vos ridicularize em frente a quem quer que seja. Quem ama, ama o bom e o mau de cada um, ama todos os defeitos um a um. Ao contrário do que a minha mãe sempre disse, atrás vem sempre melhor! Mais do que definir o que nós queremos para a nossa vida, é preciso definir o que não queremos! Ninguém quer levar "porrada", ninguém quer sentir-se humilhada, desrespeitada, uma verdadeira bosta espezinhada, pois não? Chega!!! Existe sempre uma chance. O caminho pode ser longo, mas a libertação vai valer muito a pena. Se vão precisar de ajuda? Muita! É difícil sair de uma situação destas sozinho. Quem? Há sempre alguém à nossa volta que nos pode ajudar, mas o mais importante é que não seja alguém que te diga: "Eu não te disse para o/a deixares? Tou farto/a de gastar o meu latim contigo!" Então que não gaste! Se fosse fácil não existiria tanta gente a sofrer... Até porque o/a agressor/a diz sempre que é a última vez. Diz que te ama e que vai mudar. Essa esperança, essa manipulação predomina acima de qualquer outra no caminho da liberdade. Tantas são as vezes em que se julga estar a fazer sacrifícios pelos filhos... "Porque a criança vai sofrer...", "Fica tão feliz de ver os pais juntos...", "Ela não percebe o que se passa!"... Numa batalha destas, claro que a criança sofre. Claro que fica feliz de ver os pais juntos, mas não ficará certamente de os ver infelizes individualmente. Claro que percebe... o inconsiente também conta!

Felizmente não tenho casos destes próximos - espero eu -, nem nunca passei por tal que se pareça, mas escrevi um texto para a peça da ARTemPALCO "A Diferença de ser Igual", como podem ler aqui, sobre este tema. Tive de pesquisar e conhecer algumas realidades... Realidades que espero que não seja a de quem lê estas palavras, mas se for e se acharem que, de alguma forma, posso ajudar, entrem em contacto comigo.

 

Acompanhem-me também no Instagram aqui e no Facebook aqui.

4 comentários

Comentar post