Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Teorias da Elsa

Um blog que pretende motivar, inspirar, informar e dar a conhecer sítios e lugares surpreendentes.

As Teorias da Elsa

Um blog que pretende motivar, inspirar, informar e dar a conhecer sítios e lugares surpreendentes.

Açores: 24 horas em São Miguel

Parece uma difícil missão, mas não é! Com um carro e uma boa dose de loucura é possível! Loucura na ousadia de ir num dia e vir no outro, porque de resto é algo que se faz tranquilamente e sem pressas.

 

Esta viagem relâmpago para São Miguel foi a minha prenda de natal para o meu namorado e fez agora um ano em janeiro. Fomos num sábado, com partida de Lisboa às 07h35 e chegada às 09h05, e regressamos no domingo, com partida às 09h40 de Ponta Delgada e chegada às 13h. Como foi uma prenda não deveria dizê-lo, mas gastei pouco mais de 60€ no voo ida e volta para duas pessoas (easyjet).

 

Aproximadamente 24 horas parece pouco, mas na verdade não foi. O tempo foi tão bem aproveitado que pareceu uma eternidade... Como já referi, o facto de termos um carro permitiu que nos deslocássemos facilmente. Não existe muito trânsito na ilha, as estradas são boas (sim, há sempre o risco de encontrarmos umas vaquinhas nas estradas menos comuns ou até no meio de uma aldeia), mas os acessos são ótimos e é uma ilha lindíssima.

 

IMG_20160116_115421.jpg

 

É possível que algo deste género vos aconteça, mas mantenham a tranquilidade... se fossem ursos era muito pior. Estas vaquinhas são calminhas e nota-se que já estão habituadas a congestionar o trânsito.

 

 IMG_20160116_124529.jpg

 

Como o tempo era curto, tentámos focar-nos nos principais pontos de interesse. Eu já conhecia algumas partes da ilha. Em 2009 fui a São Miguel em trabalho e tive oportunidade de conhecer alguns dos locais mais bonitos. Assim sendo, partimos do aeroporto de Ponta Delgada em direção a um dos que considero mais interessantes: a Lagoa das Sete Cidades (considerada uma das Sete Maravilhas Naturais de Portugal).

 

Mapa aeroporto - Lagoa (1).jpg

 

Infelizmente o tempo não permitiu vislumbrar a beleza deste fantástico lugar. Apenas conseguimos ver a lagoa na zona de baixo, mesmo assim não se conseguia ver tudo.

 

IMG_20160116_111937.jpg

IMG_20160116_112036.jpg

 

Resolvemos fixar o nosso próximo destino na Caldeira Velha. Fizemos o percurso sempre pela costa. A maioria dos locais, na parte norte da ilha, são bastante idênticos. As praias são rochosas e sempre de areia preta. No entanto, é uma beleza única e diferente. Nesta zona da ilha já estava sol. Reparem:

 

IMG_20160116_122528.jpg

IMG_20160116_134502.jpg

 

Não conhecia a Caldeira Velha e confesso que foi um dos sítios que mais me impressionou. Além de sentir que estava num país totalmente diferente, tive oportunidade de me sentar e relaxar lado a lado com o meu mais que tudo e a natureza.

 

IMG_20160116_141126.jpg

 

Só tive pena de não entrar na água quentinha e relaxar ainda mais. Afinal, não é em qualquer lado que se pode entrar numa água entre os 35º C e os 38º C, ao ar livre, em pleno janeiro. Aqui podem! Existe uma pequena poça anexada e aquecida por esta fumarola das fotografias. Nestas imagens podem reparar nas bolinhas que saiem da água, trata-se de uma das manifestações de vulcanismo secundário. A água encontra-se em estado de ebulição.

 

IMG_20160116_141230.jpg

 

Continuando pelo campo fumarólico da Caldeira Velha encontramos esta lindíssima nascente de água. A sua cor acastanhada deve-se à grande abundância de ferro existente na água (apesar de quase não ser percetível na fotografia). A temperatura desta cascata ronda os 25º C. Acabamos por não entrar na água por preguiça. Esta zona encontra-se preparada com vestiários para o efeito.

Existe ainda um Centro de Interpretação Ambiental onde se pode facilmente perceber a constituição vulcânica da ilha. É muito interessante!

Para conhecer toda esta zona da Caldeira Velha é necessário pagar a entrada que tem o preço base de 2€ por pessoa. Podem obter mais informações no Facebook do Centro de Interpretação Ambiental da Caldeira Velha, aqui.

 

IMG_20160116_141556.jpg

 

Daqui partimos em direção à Lagoa do Fogo. É considerada por muitos a mais bonita da ilha. 

 

Caldeira_Lagoa do Fogo.jpg

 

A caminho ainda fizemos uma paragem no Miradouro da Bela Vista. Aqui consegue ter-se uma boa perceção geográfica desta zona da ilha.

 

IMG_20160116_145111 (1).jpg

 

Eu confesso que, apesar de nesta viagem não ter conseguido ver a Lagoa das Sete Cidades, fiquei muito satisfeita por a Lagoa do Fogo se encontrar minimamente visível. Achei lindíssima, mas acho difícil comparar as duas. Ambas são incrivelmente belas. Esta é bem mais pequena, mas a sua forma é tão encantadora.

 

IMG_20160116_150136 (1).jpg

 

Decidimos que a próxima paragem seria nas Caldeiras das Furnas.

 

Lagoa do Fogo_Caldeiras.jpg

 

Foi uma das zonas que conheci na primeira vez que fui a São Miguel e onde vi colocarem o tradicional cozido no interior da terra vulcânica. As temperaturas que emanam desta zona são tão elevadas que alguns restaurantes até têm o seu respetivo "buraquinho".

 

IMG_20160116_155704.jpg

IMG_20160116_160117.jpg

IMG_20160116_155914.jpg

 

Recordar o fantástico sabor do cozido à portuguesa das furnas fez aguçar o apetite. Alguns dos "buraquinhos" dos restaurantes estavam sinalizados com os seus nomes e os números de telefone. Marcámos mesa no restaurante O Miroma. A primeira vez que comi cozido das furnas sabia muito a enxofre. Desta vez estava perfeito. O restaurante é muito calmo, espaçoso e o atendimento foi excelente. Recomendo vivamente até porque o preço também foi muito em conta.

 

IMG_20160116_163935.jpg

 

O Restaurante localiza-se na zona das Furnas. Outra das zonas de grande atração da ilha. O percurso fez-se muito rapidamente desde a zona das Caldeiras.

 

Caldeiras Furnas.jpg

 

Na freguesia de Furnas encontram-se alguns dos exemplos da atividade vulcânica da ilha mais impressionantes, pelo menos para mim.

 

received_10207291048048037.jpg

 

À medida que nos íamos aproximando o fumo ia-se tornando mais intenso.

 

received_10207291051608126.jpg

received_10207291051408121.jpg

 

received_10207291051368120.jpg

 

Na imagem seguinte podem observar a Caldeira de Pêro Botelho. Esta foi a que mais me fascinou. Além da água ser cinzenta da cor da lava, existem várias estórias sobre o homem que inspirou o nome da própria caldeira. Diz-se que era uma pessoa com muito mau feitio e que um dia caiu lá dentro. 

 

received_10207291049048062.jpg

 

Daqui fomos para o hotel em Ponta Delgada. Este foi o nosso pôr-do-sol.

 

received_10207291047448022.jpeg

 

Ainda conseguimos jantar com uns amigos e beber uns copos no centro da cidade. 

 

 

received_10207291046768005.jpeg

 

Ponta Delgada tem uma zona de bares muito gira e recomendável. Um dos que conhecemos foi o Lisboa, Menina e Moça - A Tasca do Mário e tem a particularidade de disponibilizar música ao vivo, nomeadamente fado. É um espaço moderno e muito acolhedor.

 

Não achei nada demasiado caro nesta ilha.

Foi uma experiência que recomendo vivamente.

 

Para quem estava com dúvidas se valeria a pena aproveitar as viagens low cost , eu espero ter conseguido ajudar e esclarecer. Provavelmente ficou quase tão barato ir a São Miguel num fim-de-semana, como ir de Lisboa ao Porto de carro. Vale a pena arriscar... e muito mais ainda partir à aventura.

 

Faltou-nos apenas algo que adoramos: a convivência com os locais. Pararmos numa tasquinha e conhecer as histórias e as pessoas. Saber até as estórias e as lendas das aldeias. Mas ficou a promessa de que um dia voltaremos com mais calma ou então... fazemos mais 24 horas só em tascas e para convívios locais.

 

Depois de lerem todas estas dicas ainda não reservaram a vossa próxima escapadinha?

 

Todos os mapas têm hiperligações para poderem ver e analisar o percurso no google maps, basta clicar em cima do mesmo. Boa viagem!

 

Acompanhem-me também no Instagram aqui e no Facebook aqui.