Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Teorias da Elsa

Um blog que pretende motivar, inspirar, informar e dar a conhecer sítios e lugares surpreendentes.

As Teorias da Elsa

Um blog que pretende motivar, inspirar, informar e dar a conhecer sítios e lugares surpreendentes.

Festejar o Halloween, sim ou não?

Claro que sim! Cada vez existem mais pessoas a festejar, à boa maneira americana, esta tradição que não é assim tão nossa. A verdade é que eu concordo em absoluto que tudo pode servir de pretexto para fazer festa. Além do mais quando esse motivo envolve máscaras e decoração arrepiante, melhor ainda. Gosto tanto de me mascarar! Já pensaram o que vão fazer e no que se vão terrificamente mascarar neste Halloween? Ideias podem não faltar, mas concretizá-las nem sempre é fácil! Eu confesso que nunca consigo ter tempo para organizar algo estrondoso, bem como uma horrorosa máscara. Já comprei umas coisitas, mas só logo é que hei-de improvisar... No entanto, há quem tenha muito jeito! Tenho uma amiga que é uma grande inspiração... Vejam o que ela preparou no ano passado:

 

IMG_20151031_173944.jpg

IMG_20151031_173903.jpg

IMG_20151031_173853.jpg

IMG_20151031_173815.jpg

IMG_20151031_173753.jpg

IMG_20151031_173733.jpg

IMG_20151031_173724.jpg

IMG_20151031_173719.jpg

IMG_20151031_173704.jpg

IMG_20151031_173659.jpg

 

Vão sempre a tempo de organizar algo ou simplesmente arranjar um disfarce só para se divertirem. Não há nada como uma arrepiante noite ou dia de Halloween. Eu adoro! 

 

P.S.: Não sejam como uma senhora que ouvi à pouco dizer no supermercado: "Só porcarias para o Halloween... e as pessoas compram... que tristeza!" Triste é não achar piada às coisas simples da vida. Existem muitas formas de improvisar sem gastar tanto dinheiro... Só precisamos de uma mente criativa. Ninguém é obrigado a gostar, mas quem experimenta não quer outra coisa... Ah ah ah (risos fantasmagóricos)!

 

 

 

 

Passatempo: Massagem Indian Head ou Champi

14705713_1211800912227497_2515479433852077201_n.jp

A Breathe In Therapies juntou-se às Teorias da Elsa para proporcionar um momento de puro relaxamento e felicidade aos nossos leitores. 

 

A Breathe In Therapies vai oferecer uma Indian Head Massage ou Champi de aproximadamente 50 minutos.

 

O que é?

Uma terapia utilizada há milhares de anos pelos nativos da Índia, que faz parte da tradição ayurvédica. Atua tanto no campo físico como mental, concentra-se em áreas mais vulneráveis ao stress e à acumulação de tensões e tem efeitos imediatos sobre o organismo. Praticada com regularidade, ajuda a rejuvescer o corpo e, aplicada corretamente nos pontos de pressão marma, relaxa o corpo intanstaneamente.

 

A Breathe In Therapies:

Baseia-se num novo conceito de tratamento corporal e energético. Além da Indian Head Massage (Champi) faz reiki, massagem ayurvédica terapêutica, drenagem linfática manual ayurvédica, lipomodelagem, bambú terapia e terapia com mel.

 

Contraindicações:

Não aconselhável a mulheres grávidas, pessoas em estados febris, com problemas de tiróide (que não esteja controlado), com cancro, aidéticos, a quem tenha tido um AVC ou algum tipo de trombose.
 

Condições da oferta:

A terapeuta deslocar-se-à num raio de 20 Km, a contar da Costa de Caparica (Portugal), para um local a combinar. Acima dos km mencionados o/a vencedor/a terá de pagar deslocação (a combinar diretamente). O/a vencedor/a poderá oferecer a outra pessoas, com as mesmas condições associadas.

Participações válidas até dia 13 de novembro.

O/a vencedor/a será anunciado a 14 de novembro e contactado através do e-mail.

Utilização válida até 31 de janeiro de 2017.

 

Resultado:

Parabéns Eunice Soares! Esperamos que goste!

Verifique o seu e-mail.

Muito obrigada pelas vossas participações!

Em breve teremos novos passatempos... estejam atentos!

 

 

 

 
 
 

 

 

 

Acredita!

IMG_20161001_202751.jpg

 

Quando queremos algo devemos lutar por isso com todas as nossas forças. Nada acontece por acaso e tudo resulta do nosso esforço, mas sobretudo no acreditar. Acreditar com toda a certeza em nós e que nada nos pode parar. Acreditar no nosso eu. Acreditar no nosso trabalho e na qualidade do mesmo, nas pessoas que nos rodeiam, na vida que não nos prega partidas apenas porque lhe apetece. Acreditar que temos tempo para fazer tudo o que queremos e que ainda nos sobra para fazer o que não queremos. Acreditar que vamos encontrar o homem ou a mulher dos nossos sonhos. Acreditar também em sonhos, mas sobretudo em concretizações. Acreditar muito que o dia de hoje foi melhor do que o de ontem e que o de amanhã será ainda melhor do que o de hoje. Acreditar no amor ao próximo, no próximo do próximo e ainda no vizinho desse. Acreditar que teremos uma vida plena de todos os males e doenças e que a cura para todos os males e doenças existe e está tão próxima quanto a nossa confiança. Acredita em mim, mas primeiro acredita em ti!

 

As ideias são muitas, as certezas são poucas...

received_10207291064968460.jpg

 

Quem não deseja ter uma lua-de-mel completamente inesquecível? Eu desejo e muito! Gostávamos bastante que esse momento fosse passado fora de Portugal. Para já, essa é a única certeza que temos. O grande problema é, apesar de às vezes parecer pequeno, o mundo ser enorme e escolher o destino perfeito é mesmo difícil! O dinheiro influencia bastante a decisão... por outro lado, as condições meteorológicas também (ninguém quer apanhar chuva na lua-de-mel) e depois há o fator cansaço (quero muito ter umas férias com muita adrenalina e aventura pelo meio, mas quero ainda mais namorar com o meu marido). Basicamente, queremos sempre algo que não existe! Ou talvez seja mais simples do que imaginamos... Será? No fundo, o que gostava era de pedir ajuda nesta quase impossível missão. Para onde vamos de lua-de-mel?

 

O que já pensámos:
- Percorrer a Tailândia. Parece-nos um destino encantador e cada vez mais acessível para partir à aventura, bem como para descansar e namorar mais a sul. Agora, as questões são: "Como gastar o menos possível? Que cidades devemos conhecer? De que forma nos deslocamos? O que vamos comer (gafanhotos, never!)? Quanto tempo será suficiente? Se formos um mês podemos fartar-nos? Nesse tempo conseguimos conhecer ainda outros países?"
Claro que já pesquisamos algumas coisas, mas existem tantas opiniões e experiências distintas... o que acham?

- Percorrer Myanmar. Dizem que é um país misterioso e fascinante. Do que temos visto, assim nos parece ser. Achamos que não é um destino com tanto turismo e pretendemos precisamente encontrar um cantinho no mundo que realmente possamos explorar. Digam-me lá se este vídeo não é inspirador? Será este o local ideal?

- Percorrer a América do sul. Neste caso as pesquisas foram muito mais escassas, mas ainda é uma possibilidade. Só não sabemos que países, nem por onde começar... Ok, não sabemos nada. Dicas? Sugestões?

  

O que temos disponível:
- Desejo de partir para a viagem mais marcante e emocionante das nossas vidas. Já fizemos muitas viagens por aí, daí querermos que está seja mesmo, mesmo AQUELA.
- Energia e boa disposição para partilhar pelo mundo.
- Vontade de namorar muito e dar longos beijos em locais paradisíacos até ficarmos sem fôlego.
- Partilhar alguns dos melhores momentos aqui.

 

O que não temos:
- Uma decisão.
- Tempo para planear ao milímetro os nossos passos (falta menos de um ano e ainda falta quase tudo, lembram-se?).
- Dinheiro. Ainda nem temos uma estimativa de quanto vamos gastar com todo o casamento.

 

O que gostávamos:
- Que alguém tomasse uma decisão por nós.
- Que nos apresentassem um plano do primeiro ao último dia.
- Que nos financiassem a viagem.

 

Claro que o que gostávamos é baseado no sonho que tive esta noite...

 

Quero muito, mas muito que me deem a vossa opinião, sugestões e partilha de experiências... Obrigada.

Entrevistas: Uma creche destinada a todos os seres livres!

Ser Amor10.jpg

Já imaginaram deixar os vossos filhos num espaço onde podem realmente brincar livremente e ser felizes? Na Casa SerAmor isso é possível! O tempo que passam nesta creche é aproveitado em prol do desenvolvimento da criança. À segunda-feira cozem pão, à terça têm equitação, à quarta integram um atelier de expressão artística, à quinta fazem yoga e carpintaria, à sexta dedicam-se à horta, ao sábado e ao domingo mostram tudo o que aprenderam aos pais. Baseada na pedagogia Waldorf, esta creche concede aos pais o sonho da criança continuar a receber, mesmo sem eles por perto, muito AMOR. E tudo começou pelas mãos da jovem mãe Patrícia Lopes Ferreira, que com dois filhos encontrou essa mesma necessidade.

 

14625278_10209895503321735_1168198334_n.jpg

  

Como nasceu a creche Casa SerAmor?

Esta casa nasce de um sonho: ver crescer uma sociedade com pessoas mais saudáveis, harmoniosas e humanistas, capazes de contribuir para um mundo melhor.

Com o nascimento do meu primeiro filho, o sonho ganhou forma e a luta para que esta casa fosse possível começou. Percebi desde logo que aquele pequeno Ser precisava de muito mais do que lhe estava a ser oferecido. Iniciei a minha pesquisa e encontrei a pedagogia Waldorf que respondia a algumas das minhas questões. Apresentava-me aquilo em que eu acreditava e oferecia-me a tranquilidade de poder ver o meu filho crescer saudável.

A este sonho junta-se a paixão pela natureza e pela liberdade. 

 

14192630_890026867765701_4822864369065675386_n.jpg

 

Qual é o conceito da Casa SerAmor?

É um projeto educativo onde as famílias e a comunidade envolvente têm uma participação e são um contributo fundamental para o sucesso da evolução das crianças.

Valorizamos a conceção e o desenvolvimento do ser humano. Apostamos na liberdade e acreditamos que o aspeto sensorial é crucial nos primeiros sete anos de vida.

Todos os dias o ser humano passa por etapas com características e necessidades diferentes. O ensino na nossa casa é fundamentado na pedagogia Waldorf e estruturado com várias atividades: brincadeiras ao ar livre, atividades rítmicas, preparação da refeição, brincadeiras criativas, narração de contos, pintura, modelagem, costura, desenho, bordados e cuidados da horta e do jardim.

Nestas idades as crianças aprendem por imitação e seguindo o exemplo dos adultos que a rodeiam. O educador Waldorf tem, por isso, nas suas mãos a responsabilidade pela forma como realiza as diferentes tarefas. O que ele pensa, sente e faz irradia nos seus atos e a criança, ao ver, quer fazer da mesma maneira.

 

14657661_10209895503561741_1175385007_n.jpg

 

14658259_10209895503401737_255511544_n.jpg

 

O que é que destacas como mais importante neste tipo de aprendizagem?

Os ritmos! O dia-a-dia é marcado por ritmos diários, semanais, mensais e anuais. Nas atividades semanais organizamo-nos de forma rítmica de modo a que em cada dia da semana se faça uma atividade diferente (aguarela, desenho, modelagem ou pão). Esta regularidade ajuda as crianças a situarem-se no tempo, dando-lhes segurança e confiança. Mensalmente a jornada escolar gira em torno de um tema nas rodas rítmicas como: canções, poemas ou contos. O ritmo anual marca a celebração das festas do ano, onde as crianças absorvem os acontecimentos mais destacados das estações.

 

14494839_911378722297182_1251800992555014101_n.jpg

 

Enquanto mãe quais foram as principais necessidades que precisaste de ver colmatadas no que respeita aos métodos de ensino?

Quando Dizemos que nos inspiramos no ensino Waldorf significa que não seguimos nenhuma pedagogia de forma fiel e exclusiva. Essa era a minha grande luta! Colocar o meu filho – que é um ser complemente livre – num espaço fechado durante duas estações do ano seria pôr limites à sua liberdade. Brincar é a real tarefa de uma criança até, pelo menos, aos sete anos e perceber que a escola se transformou numa estrutura fechada, pesada e (des)organizada fazia-me tremer. Limitar o que a criança faz é agradável para o adulto, mas muito castrador para a criança. Encontrar uma solução que respeitasse o tempo, o ritmo e o temperamento das crianças foram as principais razões que me levaram a construir esta casa!

 

14620064_10209895503361736_53325711_n.jpg

 

Como é que as crianças encaram esta liberdade que a Casa SerAmor lhes concede, bem como o contacto com a natureza e os animais?

Tranquilamente e de forma muito positiva! Quando estão em contacto com a natureza libertam a sua essência e reencontram-se. Revelam as suas características mais profundas, ganham autoconfiança, autonomia e responsabilidade sobretudo sobre as suas ações.

Quando recebemos uma criança que vem de outros infantários, ao início, tende a confundir liberdade com falta de regras – pois o sistema é de tal forma castrador que eles não entendem para que servem todas as regras. Aqui, bastam dois ou três dias para eles se ligarem à sua essência e resgatar o sentido da liberdade. 

Se estivermos perante crianças que vêm de casa, e aqui também vai depender da estrutura familiar, reconhecem facilmente a diferença entre a liberdade e a regra.

 

14614332_10209895491441438_1116349142_o.jpg

 

E os pais?

Os pais muitas vezes pensam que estão preparados para deixar a criança ser livre, mas na realidade nem todos estão. Ter liberdade para Ser não é fazer tudo como e quando se quer! Na maioria das vezes, os conceitos misturam-se. 

Muitos temas, atividades ou hobbies tornam-se moda e a educação alternativa não é exceção! Neste caso, em que os pais procuram a nossa casa porque a pedagogia está na berra, mas que não vivem ou sentem esta forma de estar na educação – chegam aqui e ficam surpreendidos com o que vêem. Decerto, continuam a imaginar a escola tradicional, mas com atividades diferentes. Quando lhes falamos do contacto com a terra, das brincadeiras nas poças de água, em subir às árvores e em pintar com o corpo… fogem a sete pés!

Depois temos os pais que sentem que o sistema está a falhar e que as crianças precisam de mais (mesmo que não saibam ao certo o quê). Procuram o contacto com a natureza e uma forma mais livre de estar e quando chegam a nossa casa ficam fascinados! Deixam-se encantar pelo cheiro da terra, pelos animais, pelos sons e por nós. Têm dúvidas e questionam, dão ideias e querem ser dinâmicos e participativos. Acreditam, tal como nós, que assim é que deve ser construída a educação: com uma ponte entre a casa e a escola.

Por fim, temos os pais que escolhem viver de forma completamente livre, orgânica, são 100% vegetarianos e vivem em comunidade. Procuram-nos na expetativa de sermos uma associação onde as crianças se podem reunir e brincar sem custos e em livre demanda. Desanimam-se quando percebem que não somos 100% vegetarianos e que somos uma empresa.

No geral temos sido muito bem recebidos pela população! Os pais confiam em nós e vêem, de facto, diferenças no comportamento dos filhos. Percebem como eles ganham autonomia e confiança de uma forma natural.

 

14657716_10209895503441738_338399931_n.jpg

 

Com capacidade para 20 crianças, a Casa SerAmor é um espaço com três áreas:

  • Duas salas para atividades com bebés e crianças (dos 9 meses aos 6 anos);
  • Uma sala aberta a ATL com apoio ao estudo – ateliers com didáticas especificas. Aberto a crianças que frequentem o 1º e 2º ciclo no ensino tradicional e que queriam nos seus tempos livres estar em contacto com a natureza e desenvolver a sua criatividade de forma livre e natural;
  • Espaço de cura e consciência (reiki, meditação, yoga, terapias holísticas e workshops) – em horário pós-laboral e aos fins-de-semana.

 

Fica a saber mais detalhes sobre esta casa com particularidades tão especiais através do facebook ou dos seguintes contactos: 919028772 / 932543444

 

O que é a pedagogia Waldorf?

É uma abordagem pedagógica baseada na filosofia do austríaco Rudolf Steiner, fundador da antroposofia. A pedagogia procura integrar o desenvolvimento físico, espiritual, intelectual e artístico dos alunos. O objetivo é desenvolver indivíduos livres, integrados, socialmente competentes e moralmente responsáveis. As escolas e os professores possuem grande autonomia para determinar o currículo a aplicar.

Existem atualmente mais de 1000 escolas Waldorf no mundo e cerca de 2000 jardins de infância localizados em mais de 60 países. É um dos maiores movimentos educacionais independentes do mundo. Em Portugal já existem cerca de 10 casas/ escolas.

 

 

 

Exercício físico contra dores de cabeça

14718153_712174392280237_1764446567483310080_n.jpg

 

 

Depois de uma paragem quase forçada foi finalmente dia de retomar os treinos. Que bom que é voltar a sentir as dobradiças a mexer! Não tive uma excelente noite de sono, por isso, optei por um treino mais calminho. Fiz uma aula de Zumba (estive horrorosamente descoordenada) e um pouco de cárdio. Vou ao ginásio à hora de almoço e pratico exercício sobretudo por necessidade. Sofro bastante com dores de cabeça e há alguns anos descobri que mantendo uma atividade física regular consigo equilibrar o corpo e a mente. Além de ajudar na redução do stress, que no meu dia-a-dia é muito frequente, outro fator que contribui para diminuição das dores reside na atuação das substâncias libertadas com a atividade física. Funcionam como uma morfina natural do organismo e proporcionam bem-estar, além do aumento da circulação sanguínea, que incrementa a oxigenação do cérebro. Adorava conseguir praticar uma atividade física mais concentrada. Indo apenas à hora de almoço, o tempo, por vezes, é muito escasso. Mas pelo menos, vou conseguindo mantê-la regular - à excessão das últimas três semanas. Se também sofrem do mesmo mal que eu, experimentem... todas as razões são boas para fazermos exercício ou então todos os exercícios são bons para todos os males.

 

Acompanhem-me também no Instagram aqui e no Facebook aqui ou enviem-me um e-mail para asteoriasdaelsa@gmail.com

Restaurantes: Refeição com arte em Coimbra

IMG_20161020_204942.jpg

 

Se há coisa que eu adoro é surpreender-me com lugares diferentes e numa curta ida a Coimbra as surpresas foram inúmeras. Na minha opinião cada vez existem mais pequenos recantos, nesta cidade em particular, com um gosto extraordinário.

O espaço de que vos falo hoje tem, segundo a própria descrição, o objetivo de "proporcionar momentos de felicidade a quem vem ter connosco". Confere! Fui muito feliz na Galeria Santa Clara. E, tudo o que para mim é sinónimo de felicidade é também sinónimo de partilha. Não apenas gostei da envolvência e originalidade da decoração, como do atendimento, da refeição e do local estratégico onde se encontra. Na margem esquerda do rio Mondego oferece uma vista privilegiada para a zona centro de Coimbra. Situa-se junto ao Mosteiro de Santa Clara, do Portugal dos Pequenitos e da Quinta das Lágrimas. Possui um espaço interior, exterior e semi-exterior.

Existe desde 1993 e nasceu com o objetivo de aproximar a comunidade da arte. A entrada é encantadora e um verdadeiro convite à descoberta das restantes salas e pisos. É um local muito tranquilo onde até os gatos encontram o seu momento Zen.

Conheci a Galeria Santa Clara ao jantar, mas acredito que seja um local ótimo a qualquer hora. Optei por uma refeição leve e saudável com muitos legumes. A sobremesa não foi para mim, mas adorei a ideia do "prato" (vejam em baixo). Eu gostei muito deste espaço, espero que também gostem!

 

IMG_20161020_203655.jpg

IMG_20161020_204742.jpg

IMG_20161020_204714.jpg

IMG_20161020_203703.jpg

IMG_20161020_205431.jpg

IMG_20161020_204800.jpg

 

IMG_20161020_204827.jpg

Rés-do-chão

 

IMG_20161020_205040.jpg

IMG_20161020_205015.jpg

IMG_20161020_205106.jpg

Cave

 

IMG_20161020_205328.jpg

IMG_20161020_205306.jpg

 Zona exterior

 

IMG_20161020_205332.jpg

Zona semi-exterior

 

IMG_20161020_210116.jpg

Suctinuca de legumes com carne assada

 

IMG_20161020_205641.jpg

IMG_20161020_212846.jpg

Cheesecake servido num azulejo

 

IMG_20161020_205136.jpg

 

Acompanhem-me também no Instagram aqui e no Facebook aqui. 

Dá o salto... chega de lamentações!

Se és daquelas pessoas que passa a vida a lamentar-se por tudo e por nada, está na hora de mudar. Dá o salto para a felicidade. Abre portas à vida sem entraves e lamentações. Aceita que se algo bom te acontece é porque tu mereces. Se algo menos bom aconteceu é porque tinha de acontecer, mas não sejas um mártir para ti próprio. É tão bom quando tudo nos agrada ou arranjamos forma de agradar... Esqueçam o "e porque é que não foi de outra maneira?" Pensem antes "se foi assim é porque eu tinha de aprender algo ou porque tinha de ser". Confesso que até me lamento algumas vezes, mas sobretudo porque tento ser perfecionista e acredito que esse não é um mau lamento porque se reconhecemos que podíamos fazer melhor é porque efetivamente conseguíamos. Tentar fazer melhor é sempre bom e perceber como fazê-lo ainda mais. É muito fácil cair em erros semelhantes e ver os erros nos outros, difícil é mudar isso, mas também não precisamos de nós lamentar. Apenas viver e aproveitar cada momento para aprender com ele.

IMG_20161017_111503.jpg

Falta de ideias para um casamento de sonho?

13076578_903889629710390_5579144310561292867_n.jpg

 

Basta fazermos uma pequena pesquisa no google para nos sentirmos inspirados, ou não. Parece tudo tão perfeito e simples de se fazer... Na verdade não é! E o pior de tudo é escolher... Fazer uma seleção... Concordarmos um com o outro... Tudo! Planear um casamento pode tornar-se numa das tarefas mais difíceis do mundo, sobretudo quando somos perfecionistas e queremos agradar "a gregos e troianos".

Ponto número um: Temos de ter imenso prazer e gosto tanto nas pesquisas como na execução das ideias.

Ponto número dois: Só existem duas pessoas que se têm de sentir agradadas e concretizadas com o resultado final - o noivo e a noiva.

Além do google existe uma outra ferramenta de pesquisa mega prática e que eu estou a adorar: o Pinterest.

 

O que é o Pinterest?

É uma rede social que permite a partilha de fotos e vídeos em diferentes murais de acordo com os gostos de cada utilizador. Aliás, o próprio nome pin + interest remete-nos para isso mesmo, uma parede virtual onde cada pessoa pode pendurar aquilo que mais lhe interessa. A ideia é seguir pessoas que tenham interesses parecidos com os nossos. No meu caso tenho encontrado Pins giríssimos com loucuras mesmo adequadas à nossa medida. Tem sido extremamente útil e está sempre à mão (ou no telemóvel).

Vejam algumas das ideias que eu guardei aqui.

 

Devo um agradecimento muito especial à Verinha que nos falou sobre esta plataforma maravilhosa!

 

Sugestões outono/ inverno para homem

Hoje recebi um grande desafio: Convencer um homem, em particular, que não precisa de comprar "algumas camisolas polares para não passar frio neste outono/ inverno". Além disso pretendo ainda convencê-lo que não precisa de gastar uma fortuna para reformular o guarda-roupa (obrigada Primark) e que facilmente conseguirá seguir as tendências - para ele tendências é sinónimo de "ser igual aos outros". Vamos provar que está enganado?

 

1º - Look simples e ideal para os dias menos frios. O blusão bomber preto não é muito quente, mas uma das tendências é vestir por camadas. Conjugado com outras peças, poderá também ser o look ideal para um dia frio. 

collage 01.jpg

 

Blusão Bomber preto Primark - 14€

Camisola às riscas com bolso castanho Primark - 13€

Calças de ganga elásticas azul-médio Primark - 13€

Ténis de PU branco Primark - 10€

 

2º- Apenas com uma Parka verde com pêlo e substituindo os ténis por umas botas desert, podemos criar um look perfeito e anti-frio.

collage 001_2.jpg

Parka com capuz imitação de pelo verde  Primark - 30€

Desert boots azul-marinho Primark - 16€

Blusão Bomber preto Primark - 14€

Camisola às riscas com bolso castanho Primark - 13€

Calças de ganga elásticas azul-médio Primark - 13€

 

3º - Tons neutros como o azul-marinho ou calças desgastadas é mais uma das tendências deste outono/ inverno.

collage 02.jpg

 

Parka com capuz imitação de pelo verde  Primark - 30€

Desert boots azul-marinho Primark - 16€

Camisola Farrell malha azul-marinho Primark - 18€

Calças ganga elástica corte justo cinzento Primark - 13€

 

4º - Parkas em pêlo são uma excelente opção. Uma cor neutra é facilmente conjugável com uma camisola giríssima como esta. As calças de sarja mostarda dão o toque perfeito para tornar este look menos discreto.

collage 03.jpg

 

Parka de nylon bege Primark -  35€

Camisola com painéis contraste caqui Primark - 14€

Ténis de PU branco Primark - 10€

Calças de sarja mostarda Primark - 14€

 

5º - Não consegui encontrar um casaco que gostasse na Primark e optei por este da H&M que acho bastante adequado ao restante look (mas um pouco mais caro). Mais uma vez, um tom neutro que combina muito bem com estas calças vermelho-cereja. Os ténis são o complemento perfeito.

collage 04.jpg

Casaco marinheiro H&M - 79,99€

Camisola às riscas contraste cinzento Primark - 16€

Calças de sarja skinny burgundi Primark - 12€

Ténis painel ganga cinzento Primark - 13€

 

6º - Adorei esta camisa. Tem a particularidade de conseguir ser conjugada com vários tons de calças e manter-se bastante elegante. Qualquer uma das que já mostrei atrás poderia encaixar neste conjunto. Uma camisa que tanto pode ser usada fechada como com um básico por baixo.

collage 05.jpg

 

Camisa xadrez mostarda  Primark - 13€

Parka de nylon bege Primark - 35€

Calças de sarja skinny burgundi Primark - 12€

Ténis de PU branco Primark - 10€

 

7º - Um conjunto simples, mas com um toque muito interessante com esta camisola no tom ocre.

collage 06.jpg

Casaco marinheiro H&M - 79,99€

Camisola de pescador ocre Primark - 13€

Calças de ganga elásticas azul-médio Primark - 13€

Desert boots azul-marinho Primark - 16€

 

8º - Por fim este look com maior incidência no verde militar. Gosto particularmente dos ténis que além de parecerem bastante confortáveis são muito giros.

 

collage 07.jpg

 

Estas são apenas algumas das minhas sugestões baseada nas tendências para homem outono/ inverno 2016-2017 com o objetivo de renovar algumas peças de roupa com pouco dinheiro. Praticamente todas as peças desta seleção podem ser conjugadas entre si. O bom gosto acima de tudo! E, por favor, usem apenas as camisolas polares para a neve ou grandes caminhadas. Um bom casaco e uma camisola de malha podem fazer toda a diferença. Se ainda assim tiverem frio, optem por várias camadas de roupa. O conforto e o bem-estar são essenciais, mas olharmo-nos ao espelho com confiança pode ser ainda mais.

 

 

 

 

Vou casar e agora?

"Já fui pedida em namoro! Já fui pedida em casamento! Já me pediram tudo... Bolas! Vou casar e agora?" Se também têm os mesmos pensamentos que eu... Vamos viver este momento juntos! Falta menos de um ano para eu casar e... parece que ainda falta tudo. Quer dizer... Tenho o melhor noivo do mundo! Vá, também já tenho o local do casório definido e o catering. Na verdade só me faltam os pormenores. Sou de Lisboa, tenho família no Norte e vou casar no Alentejo. Sim, há toda uma logística no que respeita ao alojamento e à deslocação dos convidados. A decoração... é tão difícil escolher as cores do casamento, as temáticas, os convites... E se chover? E se estiver o calor abrasador típico alentejano? E se... E se... E se... Tantas questões para tratar, tanta coisa em que pensar... E a animação? E o vídeo? E a fotografia? E o que vou GASTAR? Oh... Não! Bem, feitas as contas é tudo um problema... Mas deveria sê-lo quando na verdade aquilo que queremos é dizer ao mundo que nos amamos e que queremos estar lado a lado para sempre? Não. Rewind! Vamos descomplicar: Nada pode ser um problema quando o objetivo é tão nobre!

Vamos casar e isso é o melhor do mundo!

Queremos fazer uma grande festa? Sim... Então vamos ser como somos naturalmente e a festa será boa de certeza!

Nada faltará e será de certeza o momento com que sempre sonhei e com o homem que me ajuda todos os dias no processo de construção da minha felicidade... Que já é enorme!

 

IMG_20161012_140417.jpg

 

Uma mala, vários looks

O outono já chegou e agora, o que vestir? Parece que ainda nos custa largar a manga curta e os vestidos sem collants, mas a verdade é que o frio já se começa a sentir. A regra número um é perceber quais os tons que nos ficam melhor, o que pode ter a ver com vários fatores como a cor do cabelo, o tom da pele ou até a fisionomia.

Claro que o preço também conta na hora de reformular o armário ou de apenas comprar umas roupitas novas. Encontrei uma mala fantástica na Zara (39,95€) que é personalizável e que me inspirou a criar dois looks completamente distintos. Um mais jovial nos tons cinza e verde militar, o outro ligeiramente mais formal nos tons vermelho sangria. Vejam:

collage02.jpg

 

Casaco Primark - 19€

Camisa às riscas Stradivarius - 19,95€

Skynny Jeans H&M - 24.99€

Sapato Zara - 19.95€

Mala Zara - 39,95€

collage.jpg

 

Vestido H&M - 17,90€

Parka Stradivarius - 19,95€

Botim com tachas Zara - 39,95€

Mala Zara - 39,95€

Quando devemos pensar positivo? Sempre!

IMG_20161012_133138_2.jpg

 

Esta é a regra número um para a felicidade: Pensar positivo sempre. Por favor, se são daquelas pessoas que dizem: "Quando eu penso positivo nunca consigo nada...". Esqueçam! Só o facto de terem esse tipo de pensamento, mesmo que no subconsciente, já é meio caminho andado para não pensarem positivo coisa nenhuma. Aproveitem a vida e as coisas boas que vão surgindo. Quando querem muito uma coisa, concentrem-se no quanto a desejam alcançar. Só se não for realmente o melhor para vocês é que ela não se concretizará. Mas o primeiro passo está dado e esse ninguém vos poderá tirar.

 

10 Dicas e vantagens em pensar positivo sempre:

- Primeiro: acreditem em vocês próprios, se não forem os primeiros a acreditar, quem será?

- Segundo: imaginem como se sentirão ao alcançar aquilo que tanto ambicionam (vá, até o euromilhões, pelo menos dá para esboçar uma boa gargalhada). 

- Terceiro: nunca passem por cima de ninguém para alcançar os vossos objetivos. Pensar positivo está intimamente ligado connosco e não com os outros.

- Quarto: ao pensarmos positivo estamos a equilibrar a nossa saúde mental. Depressões e ansiedades podem ser uma consequência de pensamentos negativos. Afastem-nos!

- Quinto: maior rapidez na tomada de decisões. As pessoas são naturalmente indecisas quando os pensamentos negativos as afastam do foco.

- Sexto: não se deixem influenciar por quem vos rodeia negativamente. Há pessoas que não conseguem superar os seus medos, ansiedades e sobretudo negatividade que as envolve. Simplesmente não lhes dêem ouvidos!

- Sétimo: não pensem 24 horas naquela resposta que não chega, na forma como a vão receber ou se vai ser bom ou mau. Esperem, mas não desesperem!

- Oitavo: falem convosco próprios. Sim, falem muito. Às vezes precisamos de nos ouvir, sobretudo quando o que temos para nos dizer é: "Tu vais conseguir!"

- Nono: saiam de casa. Visitem algo ou um lugar que vos faz bem, no qual sentem uma boa energia. Tudo o que nos faz bem (em pleno) é bom para nós e atrai coisas boas.

- Décimo e último: divirtam-se! Tirem fotografias com a língua de fora, rastejem no chão como uma cobra ou

 

 

façam o pino e caiam (mas sem partir os ossinhos). Usem a vossa liberdade conscientemente para se divertirem. Nada como um sorriso genuíno para atrair coisas positivas!

 

Em suma... Pensamentos positivos atraem coisas positivas, sempre!

Restaurantes: Ir à Grécia em Portugal

IMG_20161013_193514.jpg

 

E até nos levam de Tuk Tuk, imaginem! Conhecer o restaurante IIlhas Gregas foi uma agradável surpresa. Não apenas por ter sido, de facto, uma surpresa do meu mais que tudo e mais alguma coisa, como pela comida ser deliciosa. Nunca eu imaginei que na Grécia se comia tão bem! Mas retomando ao início, até porque é importante, este restaurante localiza-se na Rua das Trinas (22-23), em Santos, em Lisboa. O estacionamento naquela zona é péssimo e a grande particularidade deste restaurante é disponibilizarem um serviço de Tuk Tuk gratuitamente de ida e volta a partir de vários locais da cidade. Nós apanhámos o dito no Largo Camões, no Bairro Alto. O condutor foi extremamente simpático.

A decoração do restaurante é nos tons de azul e branco. É bastante simples com quadros e outros adornos típicos que não achei excecional. O funcionário é bastante prestável e simpático. Optámos por um menu de degustação com entradas frias e quentes, salada grega, um prato com três variedades e sobremesa. Foi uma excelente opção.

A minha partilha justifica-se sobretudo como recomendação para experimentarem algo diferente: comida e passeio.

 

IMG_20161013_194648.jpg

IMG_20161013_195157.jpg

IMG_20161013_195626.jpg

IMG_20161013_195635.jpg

IMG_20161013_201727.jpg

IMG_20161013_201908.jpg

IMG_20161013_204215.jpg

  

Ilhas Gregas Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Lyon: Um sonho em miniatura... ou não!

IMG_20161002_150608.jpg

 

Na minha maravilhosa, repentina e rápida viagem a França tive oportunidade de conhecer um museu espetacular em Lyon. Foi talvez dos que mais apreciei até hoje, não fosse a minha grande paixão por cinema. 

Ora vejam:

 

IMG_20161002_144652.jpg

 

IMG_20161002_144716.jpg

 

E se eu vos disser que nem a Barbie caberia nas caminhas, nem tão pouco um boneco em homenagem a Elvis Presley se conseguiria sentar na poltrona desta barbearia?

 

Agora reparem bem nesta foto tirada por mim:

 

IMG_20161002_160631.jpg

 

 E agora nesta:

 

26fa6ad976fb92655e9f051a464fcc9b.jpg

 

Conseguem perceber o encanto deste museu? A ilusão ótica é incrível, porque as pequenas peças ganham dimensões reais perante uma lente. Esta coleção apenas é possível graças à minucia, experiência e dedicação de Dan Ohlmann (na foto). Muitas das miniaturas deste museu foram utilizadas em cinema, numa época em que a computação gráfica e outras técnicas não eram populares. Além do primor artístico, o autor ainda aplica uma excelente técnica de iluminação, recria texturas e utiliza materias reais. Vejam estes deliciosos pormenores:

 

IMG_20161002_155602.jpg

 

Todas as miniaturas são baseadas em fotografias e medições feitas em locais reais. A execução pode demorar meses.

 

IMG_20161002_160123.jpg

IMG_20161002_160228.jpg

IMG_20161002_160138.jpg

 

O Musée Miniature et Cinéma situa-se no antigo bairro de Saint Jean, en Lyon e foi criado em 1990. Está dividido por cinco andares com mais de 2000 m².

 

 

 

IMG_20161002_160548.jpg

IMG_20161002_160442.jpg

IMG_20161002_160253.jpg

 

Além das mais de 100 miniaturas hiper-realistas, este museu conta ainda com uma impressionante coleção de 500 adereços e artefactos que foram utilizados em filmes e que a maioria facilmente reconhece.

 

IMG_20161002_152228.jpg

IMG_20161002_153452.jpg

IMG_20161002_151418.jpg

 

 

 A coleção de cinema é imprecionante e, em alguns casos, desvenda os efeitos especiais e as técnicas usadas.

 

IMG_20161002_151033.jpg

IMG_20161002_152135.jpg

IMG_20161002_152205.jpg

 

No total são 200 filmes que estão representados nesta exposição.

 

 

IMG_20161002_153040.jpg

IMG_20161002_153157.jpg

IMG_20161002_153251.jpg

 

Já em tamanho real, podemos apreciar alguns dos cenários usados no filme Perfume: A História de um Assassino. Até o cheiro nos transporta para a história.

 

IMG_20161002_145106 - Copy.jpg

IMG_20161002_145623 - Copy.jpg

IMG_20161002_145522.jpg

IMG_20161002_145437.jpg

 

Também existe uma sala de "vestuário" de alguns dos filmes mais emblemáticos da história do cinema.

 

IMG_20161002_150754.jpg

IMG_20161002_150716.jpg

IMG_20161002_150656.jpg

IMG_20161002_150547.jpg

Se um dia quiserem visitar este espetacular museu reservem, pelo menos, uma hora e meia. São muitas salas, muitos pisos e sobretudo inúmeras coisas, nas quais nunca pensámos, para descobrir. É um excelente local para ser feliz!

  

Quando te falta motivação, motiva-te!

Hoje foi um daqueles dias em que o tempo me abalou. Espreitar pela janela e ver nuvens e chuva fez-me logo revirar os olhos pela manhã. Depois vêm os grandes dilemas: "O que vestir?", "Será que vou ter frio?" ou "Se calhar vou ter calor...". Cheguei à conclusão que o tempo me afetou mais do que eu julgava. Comecei a tentar escrever e não saía nada. Até que resolvi enfrentar a situação e dizer: "Sou muito mais forte até do que um temporal!" O sol riu-se para mim durante breves instantes e tudo ficou mais fácil. Não são umas nuvenzinhas ou umas pingas que me vão deixar de mau humor. Eu não tenho mau humor! Agora que me faltava motivação, isso sim, mas fui arranjá-la! Saí para a rua e fui ver como anda o mundo... Qual a direção do rio... Para que lado sopra o vento... Como costumo dizer: "Se estamos mal, só nós podemos fazer algo para mudar... Temos é de perceber o quê." Se me podia entregar à inércia? Claro! Mas chegar ao final do dia sem orgulho no que fiz hoje? Nem pensar. Será com certeza mais um excelente dia... Já tenho a inspiração que precisava!

IMG_20161012_134850.jpg

 

IMG_20161012_134248.jpg

 

 

 

Roteiro | Três Horas Por Lisboa

Sim, é possível conhecer muita coisa em Lisboa em apenas três horas!

 

A capital portuguesa não é enorme e rapidamente se consegue chegar aos sítios mais emblemáticos de transportes.

 

Eu fiz essa experiência! Numa tarde de domingo consegui tranquilamente visitar locais ao ar livre que qualquer turista deveria espreitar. Claro que ficou muita coisa por ver, mas se eu fiz isto em apenas três horas... imaginem um dia inteiro... Aqui ficam algumas dicas!

 

Primeiro, e para passearmos livremente pela cidade, o ideal é comprar um bilhete diário de transportes. Tem o custo de 6.15€ para carris (autocarros) e metro. Existem outras opções que incluem o barco para a outra margem (Transtejo) ou o comboio (CP).

 

- Iniciei a viagem no Marquês de Pombal. Apanhei um autocarro em direção ao Cais do Sodré (Carreira 736 Odivelas - Cais do Sodré) e saí no Rossio.

Nesta curta viagem podem apreciar a beleza de uma das avenidas mais emblemáticas da cidade, a Avenida da Liberdade, comparada por muitos como sendo os Champs-Élysées (em Paris) portugueses.

Uma avenida recheada com algumas das melhores marcas de roupa a nível mundial.

 

IMG_20161009_150050.jpg

Avenida.jpg

 - No Rossio podemos apreciar a beleza da Praça D. Pedro IV com os seus lindos chafarizes e o imponente Teatro Nacional D. Maria II. Daqui conseguimos avistar, ao longe, de costas para o teatro, as ruínas do Convento do Carmo e, ainda na mesma direção, o topo do elevador de Santa Justa, que falarei mais à frente.

 

IMG_20161009_150932.jpg

IMG_20161009_151251.jpg

IMG_20161009_151345.jpg

IMG_20161009_151352.jpg

- Dado a proximidade, vale sempre a pena seguir em direção à Praça da Figueira. Por vezes realizam-se aqui algumas feiras ou atividades interessantes. Eu encontrei uma feirinha de gastronomia.

No topo da colina conseguem avistar o Castelo de São Jorge. Um monumento nacional ao qual os residentes no Concelho de Lisboa podem ter acesso gratuitamente, no entanto são obrigados a apresentar o Cartão do Cidadão e a digitar o PIN da morada constante no mesmo.

 

IMG_20161009_151644.jpg

 

- A minha sugestão é que daqui caminhem até à Rua Augusta, a mais famosa rua da baixa de Lisboa.

Ladeada por diversas lojas e restaurantes, são inúmeras as pessoas que por aqui passam diariamente. A meio podemos vislumbrar o Elevador de Santa Justa, também conhecido como Elevador do Carmo.

Tem a particularidade de na sua construção terem sido aplicadas algumas das técnicas e materiais utilizados por Gustave Eiffel, mas não existe uma ligação comprovada ao mesmo.

Nesta rua podem encontrar inúmeras estátuas humanas com pormenores muito interessantes.

A rua termina com o Arco Triunfal que também se situa na parte norte da Praça do Comércio. É possível visitar o miradouro do Arco da Rua Augusta por 2,50€.

 

IMG_20161009_152132.jpg

IMG_20161009_152217.jpg

 

IMG_20161009_154958.jpg

 

IMG_20161009_155148.jpg

 

- Em frente ao Arco existem elétricos que nos podem levar para outros pontos da cidade.

Como estava mesmo a chegar o elétrico 15E que faz a ligação até Algés passando por Belém, resolvi apanhá-lo.

Este não é o típico elétrico que aparece nos postais, mas uma forma muito rápida e prática de chegar a mais um ponto turístico de elevado interesse.

Podem sair mesmo em frente aos Pasteis de Belém, mas se têm a ambição de comer um dos pastelinhos mais famosos da capital, podem ter que esperar durante largos minutos.

As filas são sempre enormes. Há tanta coisa para ver e viver e tantos pasteis de nata pela cidade que eu não esperei, mas há quem diga que ir a Belém e não comer um pastel é a mesma coisa que ir a Roma e não ver o Papa.

 

IMG_20161009_161934.jpg

IMG_20161009_162112.jpg

- Preferi dar uma volta pelos jardins de Belém. Aqui podem encontrar o maravilhoso, e pequeno, pavilhão Tailandês fabricado sem pregos nem parafusos.

De repente parece que somos teletransportados para bem longe daqui. É um monumento muito bonito com uma construção tradicional em madeira de teca revestida a folha de ouro e vitrais brilhantes. Foi uma oferta da pricesa tailandesa Maha Chakri Sirindhorn

Se continuarmos pelos jardins que também podem ser um ótimo local para descansar, ler, namorar ou até fazer um piquenique, encontramos um lindo chafariz e uma vista magnífica para o Mosteiro dos Jerónimos.

 

IMG_20161009_170421.jpg IMG_20161009_165740.jpg

IMG_20161009_170540.jpg14624271_320676428288245_7939388351080038400_n.jpg

IMG_20161009_171223.jpg

IMG_20161009_171119.jpg

IMG_20161009_170915.jpg

 - O Mosteiro dos Jerónimos ou Mosteiro de Santa Maria de Belém foi erguido no século XVI, de estilo Manuelino, é dos mais notáveis conjuntos monásticos portugueses do seu tempo e foi eleito como uma das sete maravilhas de Portugal.

É um edifício imponente e que merece os milhares de visitantes que recebe diariamente.

A Igreja do Mosteiro ou Igreja de Santa Maria de Belém está aberta ao público gratuitamente e vale muito a pena entrar, pois na minha opinião é uma das bonitas em Portugal.

Quando se entra encontramos à direita o túmulo de Luís de Camões (considerado uma das maiores figuras da literatura lusófona e um dos maiores poetas do Ocidente) e à esquerda o de Vasco da Gama (navegador e explorador português, destacou-se na Era dos Descobrimentos por ter sido o comandante dos primeiros navios da Europa a chegar à Índia).

IMG_20161009_171828.jpg

IMG_20161009_172014.jpg

IMG_20161009_172058.jpg

IMG_20161009_172140.jpg

IMG_20161009_172225.jpg

IMG_20161009_172253.jpg

IMG_20161009_172454.jpg

IMG_20161009_172552.jpg

- Nesta zona ainda existem mais monumentos a visitar como a Torre de Belém, o Padrão dos Descobrimentos ou até o Museu Coleção Berardo inserido no CCB (Fundação Centro Cultural de Belém), mas em três horas... continuemos!

A minha sugestão é que apanhem o mesmo elétrico 15E. Tentem apanhar na paragem inicial (fica num largo do lado direito dos Jerónimos - tendo este de frente) se pretenderem ir sentados.

Na segunda paragem, em frente aos Pasteis de Belém, a confusão é mais que muita.

 

IMG_20161009_173444.jpg

- O objetivo ao apanhar o elétrico de novo para a Praça do Comércio é apreciar o pôr-do-sol num dos meus locais favoritos da cidade: O Cais das Colunas.

Daqui conseguimos avistar a Ponte sobre o Tejo (Ponte 25 de Abril), o Cristo Rei ao longe e a Margem Sul que se torna bem mais perto.

Um excelente local para descansarem depois de viverem intensamente estas três horas.

Um local que nos remonta para outra época.

Um local onde podemos apreciar o fluir da corrente.

Um local encantador.

 

IMG_20161009_180743.jpg

IMG_20161009_180819.jpg

IMG_20161009_180950.jpg

P.S.: Não se esqueçam de olhar para o chão nesta viagem. A nossa Calçada Portuguesa é única e magnífica.

IMG_20161009_150858.jpg  

Lisboa é uma cidade espetacular para viver, passear e ser feliz.

É uma das capitais mais seguras da Europa e algumas vezes é desvalorizada até por nós que aqui fazemos a nossa vida.

Às vezes pensamos que a conhecemos, mas todos os dias nos pode surpreender.

Esta é apenas uma das propostas para a poderem aproveitar!

 

Acompanhem-me também no Instagram aqui e no Facebook aqui.

Restaurantes: Um "mercado" em versão palácio

Ontem conheci o Palácio do Chiado. Gosto bastante destes novos conceitos de gastronomia e não podia deixar de ser fã deste espaço. Um glamoroso palácio que conta com sete restaurantes e um bar divididos por dois pisos. No piso 0, os preços podem variar entre uma média de 15€ por pessoa e no piso 1 podem rondar entre os 25 e os 30€. Desde hambúrgueres ao sushi, passando pelo peixe e o marisco, são várias as opções.

A receção aos clientes é feita à porta. Existem dois seguranças/porteiros que atribuem um cartão de consumo (não existe um consumo mínimo). Tudo o que consumirem neste espaço é pago apenas no final com esse mesmo cartão. É sempre distribuído um cartão por pessoa.

O Palácio do Chiado foi erguido em 1781, situa-se na Rua do Alecrim Nº 70 e pertence a um descendente do Marquês de Pombal. O espaço foi totalmente remodelado e abriu este ano como "escape à vida quotidiana".

O conceito não é muito distinto dos mercados da Ribeira ou de Campo de Ourique, as opções gastronómicas também não, mas se vale a pena fazer esta viagem no tempo enquanto saboreamos algo diferente? Sim. Porque não experimentar? Eu gostei e fui feliz.

 

IMG_20161007_203201.jpg

IMG_20161007_231647.jpg

IMG_20161007_202941.jpg

IMG_20161007_204718.jpg

 

IMG_20161007_232203.jpg

IMG_20161007_202955.jpg

IMG_20161007_203113.jpg

 

 

TGV uma forma rápida e prática de viajar

Tudo começou em Paris. Um excelente ponto de partida para qualquer parte de França. Através da simples rede metropolitana parisiense conseguimos facilmente chegar de um ponto ao outro da cidade, neste caso, foi na Gare de l'Est que iniciámos um belo percurso no Train à Grande Vitesse, mais conhecido por TGV. O objetivo era chegar à cidade de Colmar, praticamente vizinha de Estrasburgo. Para terem uma ideia, são cerca de 485 km (dependendo do trajeto), que segundo o google maps, se percorrem de carro em aproximadamente 5h30min. No TGV (dependendo também da hora e se é direto ou não), este percurso demorou 2h26min. Sim, faz bastante diferença. A segunda viagem que fiz foi de Colmar para Lyon, sendo que fui de Colmar até Mulhouse, um trajeto de 27min num comboio regional (40 km aproximadamente), e de Mulhouse para Lyon em TGV, cerca de 400 km (entre 4 a 5h de carro), 2h50min de TGV. Este comboio a alta velocidade pode atingir mais de 320 km/h (já atingiu os 574 km/h), uma velocidade fabulosa. No entanto, uma velocidade que não se nota, comparativamente com o Alfa Pendular, por exemplo, que pode alcançar 220 km/h.

Não é um meio de transporte barato, até mesmo o avião pode tornar-se menos dispendioso. Se os bilhetes forem comprados com maior atencedência é possível encontrar preços mais razoáveis. Neste site, conseguem fazer uma boa pesquisa de destinos/tarifas (mas não é o único).

Fiz o primeiro trajeto em primeira classe e o segundo em segunda. Sim, existem diferenças, nomeadamente no que diz respeito à comodidade. Os assentos são maiores, rebatíveis, têm um encosto para a cabeça mais cómodo, em suma, se o objetivo for dormir, consegue fazer-se com maior conforto. O preço também varia, mas às vezes pode não variar muito e compensa.

Existem muitas razões para fazer uma viagem de TGV, se for bem planeada, melhor ainda, porque se pode poupar dinheiro e ser igualmente feliz. Fazer planos em prol da nossa felicidade vale sempre a pena. Seja sozinhos ou acompanhados, sejam felizes. Notem que cada vez existe uma segurança mais apertada em França. Não tenham receios e partam à aventura.

O melhor mesmo desta viagem? Só o facto de ter sido planeada por alguém muito, mas muito especial que fez de mim, e faz todos os dias, a mulher mais feliz do mundo.

IMG_20161001_114345.jpg

IMG_20161001_113507.jpg

 

1ª classe

IMG_20161001_111100.jpg

IMG_20161001_104313.jpg

IMG_20161001_103129.jpg

 

Eu queria apenas ver...

É sempre o que dizemos quando vamos a um Centro Comercial: Vamos apenas espreitar o que se passa! Só que não! Na verdade é raro sair de um Centro Comercial sem uma coisinha, ainda que mínima, só para dizer que se comprou algo. Ai... E como essa coisinha mínima nos faz feliz, vá... sejamos sinceros. Agora, quando vamos à PRIMARK, o problema parece revelar-se ainda maior... E à PRIMARK do Colombo? É um verdadeiro caos. Na verdade é raro sair de lá com uma coisinha mínima... Os preços são bem em conta e, se espreitarmos bem, conseguimos encontrar coisas muito giras. Eu trouxe um saco cheio! Também costumam ter o mesmo problema que eu? Mas confessem lá... ainda que seja meia horinha no shopping, sobretudo sozinhos, não é uma excelente forma de descontrair e ganhar forças para o que aí vem?

 

14591173_208097279602495_3884713660563587072_n.jpg

 

P.S.: Estou muito orgulhosa das minha comprinhas!

 

 

 

 

Pág. 1/2